Projecto - Instalação - Assistência - Manutenção


Para o projecto de um sistema de detecção de incêndios há necessidade de equacionar todos os riscos da instalação. Pode-se optar pela utilização de um sistema convencional ou analógico endereçável, dependendo genericamente do tamanho e complexidade das instalações a proteger (sistema de pequena a média dimensão - SISTEMA CONVENCIONAL; sistema de  média a grande dimensão - SISTEMA ANALÓGICO). 

Nos sistemas convencionais os detectores são agrupados em zonas, pelo que em caso de alarme apenas se sabe de que zona provem o alarme e não detector que o provocou.

Nos sistemas analógicos endereçáveis os detectores têm um endereço único normalmente complementado com um texto, permitindo assim a fácil localização do dispositivo que originou o alarme, minimizando-se  o tempo de localização do principio de incêndio e, consequentemente, acelerando-se o processo de combate a um eventual foco de incêndio. 

Na escolha dos detectores de incêndio  indicados para uma determinada situação deve ter-se em conta o comportamento do fogo e o tipo de local, bens e pessoas a proteger bem como as funções auxiliares controladas pelo sistema a instalar. Detectores de fumos e calor são normalmente os mais indicados para a maior parte dos edifícios a proteger, sendo por isso os mais utilizados mas existem,  no entanto, situações onde,  pela natureza do ambiente envolvente ou pela morosidade dos eventos que originam a detecção, poderá ser necessária a utilização de outros tipos de detectores de características especiais (chama, etc.).

DETECÇÃO de INCÊNDIOS:

 

CENTRAIS CONVENCIONAIS:
MS 1 - 2 - 4 - 8  
1200 e 1300N  
CENTRAIS ANALÓGICAS
Detectores Ópticos de Fumo
Detectores de Temperatura
Detectores Especiais (Laser, Multi-tecnologia, Ambientes duros, de Chama, etc.)
Botões de Alarme Manual
Sirenes (Interiores e Exteriores)
Sinalizadores e outros equipamentos complementares

MARCAS: